sábado, 6 de junho de 2009

CRIME E DENÚNCIA.


O jardim do Zoo da Maia deixou de contar com a presença da famosa Boneca Eva, que durante vários anos mostrou a milhares de crianças como é e como funciona o corpo humano.
Apesar da sua importância, em termos educacionais, não teve o destino mais digno. Depois de lhe terem retirado todos os materiais com valor, acabou desmembrada numa mata do sector IV da Zona Industrial da Maia, em Moreira. Após denúncia anónima, PRIMEIRA MÃO foi encontrá-la em pedaços, distribuídos por nove amontoados, numa zona de mata, que funciona como depósito ilegal de resíduos, na Rua Carlos Teles de Meneses. Esta infracção incorre numa multa que pode ir dos 1500 euros aos 3740 euros, no caso de pessoa singular.
Ao que apurámos, a Boneca Eva foi retirada do jardim do Zoo, por um alegado negociador de ferro velho e sucatas de Vila Nova da Telha, a pedido da Junta de Freguesia da Maia, responsável pela gestão do jardim zoológico.
A PRIMEIRA MÃO, o presidente da junta, Carlos Teixeira diz não ter qualquer responsabilidade no sucedido. Explica que, através de um acordo verbal, o sucateiro comprometeu-se a retirar a boneca do local em troca do ferro que iria retirar, e que depois, “a mandava para os fornos em Santo Tirso”. Confrontado com o não cumprimento do acordo, apesar de ter sido apenas por palavras, Carlos Teixeira rejeita quaisquer responsabilidades.
Apesar de se tratar de uma situação de infracção ambiental, contactada pelo PRIMEIRA MÃO, a responsável pelo Departamento de Ambiente e Qualidade de Vida da Câmara Municipal da Maia, Helena Lopes, disse desconhecer o caso. PRIMEIRA MÃO sabe que, no âmbito de uma acção de fiscalização nas zonas florestais e matas do concelho, a GNR da Maia esteve no local, tendo emitido um auto de contra-ordenação contra o infractor, neste caso o sucateiro. E de acordo com fonte do Destacamento da GNR de Matosinhos, o auto foi encaminhado para a Câmara Municipal da Maia.