quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

PRESTAÇÃO DE SERVIÇO


Quase todas as sextas antes da “balada” nós aqui do TENC apreciamos vários tipos de champagnes. Portanto temos todas as propriedades para fazer uma crítica de algumas delas. Confira!
.
Champagne Feuillatte
Apresentava-se fundamentalmente frutado, pouco complexo, com persistência aromática discreta, devido à alta porcentagem de Pinot Meunier (40%) e também, a uma permanência sur lie não muito prolongada, seu oponente, da Maison Roederer, a qual elabora o mítico Champagne Cristal, apresentou um produto de alto nível, elaborado exclusivamente com as cepas Chardonnay e Pinot Noir, que passa cerca de 3 anos sur lie (em contato com as borras), gerando um Champagne mais encorpado e de destacada complexidade.

Champagne Vintage
As amostras número 3 (Taittinger), 4 (Jacquart) e 5 (Bollinger) mostraram estilos e características bem distintas. A elegância, o frescor e a delicadeza são marcas registradas da Maison Taittinger. No outro extremo, o corpo, a potência e a longevidade, definem o estilo Bollinger. Já o Millésime Jacquart, com seus 10 anos de vida, parece ter encontrado seu apogeu.

Special Cuvées
Neste último painel as amostras 6 (Jean Milan), 7 (Drappier) e 8 (Moët & Chandon), mostraram o alto nível de seus produtos, guardadas as diferentes características de estilo de cada Maison. Sem dúvida, a Maison Jean Milan elabora um Champagne mais delicado, com 100% de Chardonnay, apresentando cor com toques verdeais bem típicos. Já as Casas Drappier e Chandon, apresentaram Champagnes mais encorpados, sendo a Cuvée Dom Pérignon de uma complexidade ímpar. Outro fator marcante neste nível de Champagnes, é a perfeita integração do gás carbônico na massa vínica, proporcionando uma mousse de qualidade inigualável.

Um comentário:

jupter disse...

ovulei de vontade agora... seria balsâmico nesse calor.