segunda-feira, 9 de julho de 2007

A inglesa Naked inova ao contratar antropólogos, DJs e até um psicólogo criminal para criar suas campanhas

A primeira impressão do visitante que chega à sede da agência de publicidade Naked, em Londres, é que caiu dentro de um filme do Harry Potter -- ou em um enlouquecido mercado de pulgas. Em salas forradas com papel de parede em estilo vitoriano, móveis antigos misturam-se com luminosos de neon, uma ovelha de cerâmica em tamanho real, uma jukebox e uma lambreta. Os funcionários são jovens, com idade entre 20 e 40 anos, e trabalham ao som de rock, às vezes pesado. Para eles, esse é o ambiente perfeito para ter idéias -- sejam elas brilhantes, bizarras, divertidas ou mesmo estapafúrdias.

É justamente essa a especialidade da Naked e sua grande diferença em relação às agências tradicionais: as idéias. Fundada há sete anos por três amigos (nenhum deles publicitário), a agência especializou-se apenas na área de criação e abriu mão de todas as demais etapas do processo publicitário -- como a produção e o planejamento da veiculação dos anúncios.

Entre as 100 grandes empresas atendidas pela Naked estão nomes como Coca-Cola, Nike, Nokia e Sony. O grande trunfo da Naked é seu eclético time de profissionais. Do grupo de 170 funcionários da empresa, fazem parte DJs, jornalistas, antropólogos, um psicólogo criminal -- e até publicitários.

Ao contrário do que pode parecer, o tipo de trabalho desenvolvido na Naked não se encaixa no modelo bando-de-amigos-tomando-cerveja-e-tendo-idéias-geniais. Não existem pessoas dando cambalhota ou andando de patins enquanto uma campanha é debatida. A "produção" de uma estratégia ou de um conceito de campanha obedece a um rigor quase "científico". As reuniões têm hora para começar e terminar, e muitos dos participantes já chegam com dados lastreados em pesquisas.

No Brasil, ainda não existe nada semelhante ao modelo de negócios criado pelos fundadores da Naked. Algumas das grandes agências mantêm departamentos específicos que funcionam de forma parecida.

FONTE: REVISTA EXAME

2 comentários:

jupter disse...

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

Paula disse...

Genial!!!
Amei essa proposta.